Seja bem vindo
Cascavel,21/02/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Unioeste apresenta Tecnologia Ambiental em Projeto EnvCity

Projeto desenvolveu um sistema de monitoramento desses elementos essenciais


Unioeste apresenta Tecnologia Ambiental em Projeto EnvCity Foto: reprodução / assessoria

A qualidade e excelência do ar e da água que consumimos são de grande importância para a nossa saúde e qualidade de vida. O projeto EnvCity, coordenado pelos professores Leila Martins da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR-Londrina) e Edson Tavares de Camargo da UTFPR-Toledo/ e do Programa de Pós-Graduação em Computação (PPGComp) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), em cooperação com o campus de Cascavel da Universidade, desenvolveu um sistema de monitoramento desses elementos essenciais.

Iniciado em fevereiro de 2021, o EnvCity estabeleceu uma parceria com a UTFPR Campus Londrina e Toledo, contando ainda com a colaboração do professor Cleber Lindino da Unioeste, campus Toledo. O projeto tem sido executado por professores, alunos e colaboradores envolvidos, incluindo dois estudantes do mestrado em Ciência da Computação (PPGComp) do Campus Cascavel e um bolsista de iniciação científica voluntária do curso de Ciência da Computação. Além disso, a participação de alunos de graduação e pós-graduação da UTFPR Campus Toledo e Londrina também é integrada ao projeto.

A qualidade do ar e da água tem impacto direto na saúde da população urbana, sendo expostas a substâncias poluentes, responsável por numerosos problemas de saúde. O professor Márcio Seiji Oyamada, colaborador no projeto EnvCity, destaca que “a iniciativa busca investigar o uso de sensores de baixo custo e transmissão via rede LoRa, bem como o desenvolvimento de técnicas de aprendizado de máquina para corrigir a resposta dos sensores, visando aumentar a precisão desses dispositivos”. 

Na 36° edição do Show Rural Coopavel, está sendo apresentada uma estação que monitora a concentração de monóxido de carbono (CO), ozônio, dióxido de enxofre (SO2), dióxido de nitrogênio (NO2) e material particulado. Esses parâmetros são definidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) para calcular a qualidade do ar. Os dados são transmitidos via rede LoRa e podem ser acessados em tempo real para monitoramento da qualidade do ar, a divulgação pública dos resultados ainda está em desenvolvimento, mas está sendo planejada por meio de um aplicativo e site que apresentarão gráficos explícitos.

 Márcio também acrescenta “queremos apresentar os projetos em desenvolvimento na área de sistemas embarcados, transmissão em redes LoRa, e sensores de baixo custo e que podem ser aplicados no contexto ambiental tanto em ambiente urbano quanto na agricultura e na agroindústria, abrindo possibilidades para novos projetos e parcerias”.

Agência Brasil




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.