Seja bem vindo
Cascavel,21/02/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Juliano Gazola

O sacrifício ao que é transitório


O sacrifício ao que é transitório Reprodução Freepik

Sem o lado racional, você só prestará atenção aos prazeres imediatos. Será impossível para você dedicar-se ao serviço cotidiano, aos amores reais, à vocação autêntica. Suas ações e sua personalidade se dissiparão. Você deve e pode virar este jogo.

Seus desperdícios com celular e redes sociais, programas do tipo reality show, jogos em geral, vícios, alcoolismo e pornografia me obrigam a lhe fazer uma pergunta muito importante. E lhe convido a responder-me: Quantos objetivos você poderia ter alcançado se tivesse sido racional com seu tempo?

Mas como? Como posso fortalecer meu racional? A razão investiga o porquê das coisas, o porquê das suas próprias ações. Lembro-me de várias ocasiões de ter sido um chato questionador e também de ter trabalhado com vários chatos questionadores. Tornar-se um exímio questionador pode lhe ajudar a fortalecer este seu cérebro.

Escolha a diversão que você gasta mais tempo e procure responder: que consequências (positivas ou negativas) trazem essa diversão na sua vida?

Uma autorreflexão imediata é saber se você poderia escolher uma diversão mais conectada com seus objetivos e, se de alguma forma, você sentiu uma vontade de fazer algo a respeito, não deixe para amanhã, comece hoje.

Você já ouviu ou leu sobre o deus da razão, Apolo, filho de Zeus que simboliza o arquétipo do enquadramento racional, que procura em tudo a sua finalidade, origem, a matéria e a forma mais específica para aquilo que se pretende. Um chato de galochas.

Por outro lado, Dionísio, deus das festas, dos ritos religiosos, do erotismo, também filho de Zeus, sendo o último deus aceito no Olimpo. Voltado a sensações primárias, nas sensações mais vindouras.

Não há certo e outro errado, está citação lhe convida a refletir sobre os modos de o ser humano funcionar, pois, é necessário equilíbrio.

Você passa o ano todo agindo como um Dionísio, agindo com estímulos rápidos, nada profundos e com superficial uso do cérebro? Você se iguala a um animal, a um bicho.

Um pedido muito importante a você, nobre leitor é pensar sobre o modo como se vive, principalmente no Brasil, o país do Carnaval, do jeitinho brasileiro, dos gestores públicos corruptos, da sociedade que busca resultados imediatos.

Como seria a nossa vida, se neste ano pudéssemos sentir, pensar e agir de forma mais apolínea?

Uma coisa eu acredito, um indivíduo que escolhe ser apenas dionisíaco vai quebrar a cara e não conquistará nada que preste na vida. Ao ponto que o apolíneo será um chato, maçante e desconectado de tudo o que é humano, zero empatia.

Articular Apolo e Dionísio é sem dúvida, uma sábia e prazerosa escolha.


- Juliano Gazola é fundador da Bioliderança no Brasil, business executive coach e reprogramador biológico 





COMENTÁRIOS

LEIA TAMBÉM

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.