Seja bem vindo
Cascavel,21/02/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Vander Piaia

Não obstante, o emprego cresceu


Não obstante, o emprego cresceu Foto: Makelen Rotta

O Brasil gerou quase 1,5 milhões de empregos com carteira assinada em 2023. Tal número foi motivo de comemoração por parte do governo e uma clara demonstração de fé do empresariado no país. No dia da divulgação, a bolsa de valores expressou satisfação e subiu, enquanto o mercado americano passava por um dia azedo.

As razões desse bom resultado podem e não ser apontadas para a política econômica do governo. Como assim?

De fato, não houve algo novo que acrescentasse alívio ou esperança àqueles que estão na linha de frente na geração de empregos, os empresários. Ao contrário, a pressão por buscar novas fontes de receita por parte do governo foi um desestimulante.

Por outro lado, o mesmo governo não apontou nenhuma loucura que espantasse de vez a esperança dos empreendedores. Ou seja, basicamente, a linha econômica neo conservadora baseada no equilíbrio monetário (ao menos no discurso) e o silêncio acerca de desfazer as reformas dos últimos anos, ajudou.

A título de exemplo, a modernização das leis trabalhistas permitiu a existência do trabalhador temporário ou intermitente, que noutras épocas era proibido por lei, mas que existia no mundo real e assim não podia ser sequer contabilizado ou mesmo gerar receitas ao governo via impostos.

Certamente não se pode esquecer a pandemia, que desconectou as relações de produção, entortou a cadeia produtiva e foi particularmente cruel com o setor de serviços. Já era esperado, portanto, que quando a pandemia fosse controlada, os milhões de empregos perdidos retornassem, como de fato está acontecendo.

Por fim, o número é bom, visto que o número de desempregados baixou para menos de 7,5%, alcançando o marco de 2014. Não obstante, ocorreu um declínio relativo na absorção da mão de obra, em 2022 foram gerados dois milhões de postos de trabalho com carteira assinada. O verdadeiro teste do atual governo não foi o ano que passou, mas sim esse ano. Não à toa, recentemente foi anunciado um ambicioso plano de recuperação industrial, para o qual os críticos torcem o nariz, dizendo que é prato requentado. Veremos!


- Vander Piaia é comentarista econômico e professor da Unioeste 



COMENTÁRIOS

LEIA TAMBÉM

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.